Olá!

Hoje quero falar-te como o teu corpo se manifesta e te envia sinais de alerta sempre que estás perante uma situação em que, notoriamente, não te respeitas. Não te Amas e não te Honras.

Uma das questões que normalmente recebo de outras pessoas é sobre como dizer “não”, como dizer “não” assertivamente ou como ter aquela confiança interior quando essa pessoa se depara com conflitos (a maior parte das vezes interpessoais) e nos quais sente que perde a sua força interior, a sua verdade, o seu poder perante outra pessoa ou perante uma situação específica.

Também eu tenho as minhas questões como qualquer um e, também por isso, a minha visão é que não há forma de fazer diferente sem procurar ter a CONSCIÊNCIA de onde reside essa “característica”. Aquilo que respondo a maior parte das vezes é: “o que é que tu gostarias de ter feito diferente?”. E a partir daqui podemos viajar numa série de questões que nos levam à tomada de Consciência, sendo que muitas delas passam pela compreensão de como o corpo físico reage nesses momentos.

Quando falamos de Confiança ou de Poder Pessoal, normalmente quem trabalha com Energia, associa-os ao chakra do plexo solar. O chakra amarelinho que rege o que é a nossa auto-confiança, o nosso amor-próprio, o nosso “Não” e o nosso “Sim”. Muitas vezes focamo-nos aí e tentamos trabalhar apenas uma área ao invés de colocarmos um olhar holístico sobre as questões a trabalhar.

Normalmente, sobre uma dor ou sintoma tento procurar mais do que o óbvio, pois o nosso corpo tem desígnios escondidos e os seus próprios segredos. Cada pessoa é completamente diferente de outra e todo o teu corpo reage de maneira diferenciada perante diferentes estímulos e os restantes centros energéticos não são excepção.

Como emoções mal canalizadas ou não aceites por ti podem afectar directamente a tua vertente mais criativa, mais inteira, mais forte, mais selvagem, mais intensa?!? Falo-te dos motivos que te levam a sentir fraco ou insuficiente perante situações ou pessoas.

Vamos olhar para o chakra do sacro por um bocadinho. Ele é conhecido pela sua associação à nossa parte sexual, criativa e emocional, regido pelo elemento água (elemento que rege as emoções), é um dos chakras com comportamentos mais fluídos e dinâmicos.

Para quem não sabe o que é um “chakra”, entre muitas outras características, é um centro energético que recebe e emite frequências energéticas consoante as partes do corpo físico e étero a que esteja associado. Este, em particular, está localizado ao nível da quinta vértebra lombar e do baço.

Nas mulheres conecta-se com os ovários e o útero e nos homens com os testículos. Para ambos há uma ligação direta ao trato urinário, à vesícula, à zona lombar/sacral, a toda a zona gastro-intestinal. Astrologicamente está ligado à Lua – o planeta regente das emoções e da manifestação das mesmas.

Costuma dizer-se que somos seres espirituais dentro de um corpo físico, não é?

E como concordo com esta afirmação torna-se mais fácil entender que cada escolha que fazemos na vida, cada conversa que temos, cada pessoa ou grupo com o qual lidamos ou cada trabalho que assumimos tem um impacto direto na forma como o nosso corpo vai reagir depois.

Às vezes, no emprego por exemplo, tens de lidar com colegas, hierarquias ou clientes que te relembram características tuas que tu consideras inferiores, que te fazem reagir de maneira desproporcional ou que criam uma sensação em ti de te quereres esconder, fugir ou reagir agressivamente. Muitas vezes, na tua relação de casal, és confrontad@ com o medo perder aquela pessoa, chegas a pensar que el@ já não te ama, não te quer ou e que tu não és suficientemente bom. Pode dar-se também o caso de ser o oposto, vermos alguém que amamos muito em conflito por não ter a mesma confiança na relação que nós temos e isso deixar-nos com ansiedade constante, com uma sensação de querer fugir, gerar raiva ou revolta.

E provavelmente já reparaste, em situações como estas ou outras com as quais não lidas de forma tão saudável que mais cedo ou mais tarde ficas doente, tens dores em partes do teu corpo, podes ficar com infeções urinárias ou, no caso de seres mulher, podes ter uma infeção uterina por exemplo… Pode dar-se o caso de ficares com muito sono sem explicação aparente, alterares a tua alimentação sem consciência disso,  perderes o teu desejo sexual ou de o teres de forma obsessiva. Pode dar-se o caso até de quereres ingerir álcool ou drogas sem regra, conduzir a velocidades excessivas ou de saltar de uma ponte para fazer bungee jumping de um momento para o outro.

A raiva e a mágoa ocultadas geram doença, dor e por sua vez sofrimento. Esse sofrimento é a expressão mental que resulta em medos e agonias e dificuldades em superar obstáculos. Gera falta de resiliência, de capacidade de superar em equílibrio.

A fonte do que te faz criar, seguir em frente, superar desafios com novas soluções para os mesmos problemas está também ela localizada no teu corpo e é através dela que resgatas a tua força selvagem criadora, que te manifestas como Mulher ou Homem ou sob qualquer Forma Divina que sintas que tu És.

Ao negares este grande Amor próprio, ao criticares a tua própria beleza, sob toda a tua mais incrível e esplendorosa forma, ao reduzires o teu Poder àquilo que acreditas que os outros vêm, que outros pensam, que outros dizem estás a infligir-te uma dor que não te pertence. Aquilo que é Teu é o teu poder de Criar, de Co-Criar, de Gerar e de devolver ao Mundo inteiro o que Tu efectivamente És! Sem medo! Sem essa ilusão mental que é o medo.

O medo é não mais que uma expressão da Dor. Ele está lá para nos mostrar de uma forma não tão agradável que só temos de nos proteger se não NOS ASSUMIRMOS EM VERDADE.

AMA-TE!

Não tens um corpo igual ao daquel@ vizinh@ do 5º andar?

Não consegues encaixar-te em determinados grupos?

Não entendes a forma como a maioria das pessoas pensa?

Não consegues definir-te emocionalmente, sexualmente, fisicamente?

Não te sentes capaz de tomar decisões de vida como supostamente devias fazer?

Ok, talvez seja mais simples do que pensamos.

Não tens que definir-te, não tens que encaixar-te nem tens que compreender. Não tens de apressar-te.

Ama-te.

Honra o TEU corpo antes da comparação. Honra e respeita o corpo de qualquer pessoa por ser belo como É e não porque é de alguém em específico.

E se há grupos onde não encaixas ou pessoas que sentes que não entendes ou que não te entendem, tudo bem. A sério, tudo bem! Respeita as formas de estar delas e ESCOLHE onde pertences e onde queres pertencer. Tu pertences a TI antes de qualquer outra pertença. E por TE pertenceres podes decidir a quem Queres ENTREGAR-TE. Diz “Sim” e diz “Não” em Consciência.

E os rótulos: livra-te deles! Ama-te SEM DEFINIÇÃO, porque o Amor não tem forma, não tem tempo nem espaço.

Que estratégias posso adotar para começar a olhar para Mim em Amor?

1 » DANÇAR:

Uma das maneiras que mais gosto de aconselhar para a libertação dos estigmas é DANÇAR.

Dança ritmos quentes para te ajudar a abrir este segundo chakra de que falámos: o chakra sacral.

Os ritmos tribais africanos por exemplo são muito fortes em trabalhar os elementos de Terra e de Água pois potenciam a circulação sanguínea a partir do baixo ventre até ao chão e inevitalmente a energia tem que fluir por aí. Abre-te à CRIATIVIDADE, ao CAMINHO, à DECISÃO, ao AMOR PELO CORPO, à SENSUALIDADE e à SEXUALIDADE do feminino e do masculino.

Dança como se ninguém quisesse saber. (Na verdade, ninguém quer saber).

2 » OLHA PARA DENTRO / MEDITA / ESTÁ PRESENTE

Se sentes que és um bocadinho mais inibid@ e que te é difícil saltar do sofá para dançar ou se por acaso não gostas de música ou não podes ouvi-la podes tentar outras técnicas de OBSERVAÇÃO e ACEITAÇÃO.

Há várias técnicas de meditação e de presença no corpo. Podes ver algumas das que mais gosto aqui.

3 » FALA COM UM TERAPEUTA / EXPRESSA-TE

Juntamente com o que acima falámos convido-te a expressares num espaço seguro e de terapia. O estigma com a terapia ainda é muito grande, pois as pessoas sentem-se enfraquecidas só por pensar que “precisam de ajuda”. Não se trata de “precisar de ajuda”, trata-se de pedir mais recursos que outro alguém tem. É entrar numa Conversa Terapêutica sem tabus nem julgamento para afastar os monstros internos.

Neste artigo podes ver alguns tipos de técnicas de auto-expressão e os contactos para as Conversas Terapêuticas.

4 » O Herbalismo e a Alquimia podem ajudar?

No mundo das ervas e das plantas existem inúmeros meios de cura e para as mais diversas necessidades.

Com recurso a óleos específicos, infusões, inalações, banhos e outros podes suavizar muitos dos sintomas que tens vindo a ter.

No artigo sobre plantas antidepressivas, relaxantes e estimulantes podes ver alguns exemplos do que fazer para te ajudar a reduzir algumas das tuas sensações menos boas. 

Algumas delas são:

»  Alfazema

» Gerânio

» Jasmim

» Ylang Ylang

» Laranja

» Funcho

» Sândalo

Entre outros…

Curarás o teu corpo no dia em que olhares para ti pela perfeição de tudo o que tens.

O nosso corpo tem, tendencialmente, maneiras de reagir e de se manifestar perante diferentes situações e o nosso trabalho como forma de Amor por nós é olhar para as suas manifestações e respeitá-las, compreendê-las, aceitá-las.

 

Let Love Grow,

Carolina