Vamos falar de Amor. Lembras-te de quando eras pequeno e a tua mãe te pedia para fazeres algo, resmungavas um bocado mas ias na mesma? Como provavelmente até tens 2 nomes próprios e não querias DE TODO ouvi-la a gritá-los da cozinha, terminavas a tua tarefa, ainda aborrecido mas de piloto automático ligado. No fim, muitas vezes recebias uma recompensa certo? *(Não aplicável aos nascidos nas décadas de 80 e 90 – a minha mãe vai adorar esta piada).

Lembra-te agora quando, os teus pais não te davam qualquer recompensa por algo bem feito. E tu questionavas a justiça ali. Se eles te amam e tu fizeste algo por eles, porque não és valorizado?

A cultura do Amor relacional ensina-nos que o sistema do DAR e do RECEBER é rígido, tem que ser uma troca “justa”.

Ensinam-nos a usar mais o nosso hemisfério esquerdo, masculino, fechado, lógico e observador e isto traz a ideia de que a justiça implica sempre RECEBER aquilo que expectamos.

E há algo de errado em querer Receber? 

Na minha óptica, diria, absolutamente: NÃO.

Somos merecedores de Receber e somos capacitados para Dar.

Não me parece errado gostar que alguém nos dê um presente, qualquer pessoa se sente bem ao sentir que é valorizada, seja através de bens imateriais ou materiais. Mas se dizemos a alguém “Amo-te” na esperança de ter o jantar pago então talvez tenhamos de nos preparar para ter de comprar uma pizza individual.

A escolha das nossas emoções é importante. Apenas e SÓ para nosso próprio bem. De mais ninguém. 

Com base nas decisões que tomamos tudo o que virá a seguir deve ser com a plena consciência que, independente do resultado, tu te responsabilizas pelas tuas decisões e a resposta do Outro não será nunca uma responsabilidade tua. Por isso, numa relação onde um sente que Dá do que Recebe, talvez seja importante olhar para as emoções que ali habitam e focar o coração.

“O que é que estimula esta minha sensação de injustiça?”

Olha para dentro, olha para Ti e Sente o que de facto Mereces RECEBER. Aquilo que mereces receber é aquilo que podes dar-Te. O que mereces receber da Tua pessoa mais importante: Tu. 

Ama-te de forma a que não sintas qualquer dúvida de quem És na ausência de uma palavra, de uma acção ou de uma pessoa.

Foca o teu maior Amor: ama-te tanto que transbordes ao ponto de DAR sem que nada te falte.